CREATE ACCOUNT

*

*

*

*

*

*

FORGOT YOUR PASSWORD?

*

 

As vereadoras Juliana Ortiz (PDT) e Vânia Moraes (MDB) de Palmares do Sul, acompanhadas da assessora parlamentar Mara Beatriz Santos Gomes e do diretor Alex Cunha participaram da XV Marcha dos Vereadores de 2018, entre os dias 23 a 26 de abril! Cujo lema do evento foi é “Por um poder Legislativo Forte e Livre”.
A presidente da Câmara de Vereadores de Palmares do Sul, Juliana Ortiz, aproveitou a oportunidade para visitar os deputados federais do PDT Pompeu de Mattos e Afonso Motta.
O deputado federal Pompeu de Mattos (PDT) gravou um vídeo no Plenário da Câmara dos Deputados junto com a vereadora Juliana Ortiz que estava acompanhada de sua assessora Beatriz e o diretor da Câmara Municipal, Alex Cunha. Explicou que a comitiva foi em missão para realizar um curso de aperfeiçoamento e também na busca de recursos. Informou que estava destinando uma verba de R$ 100 mil para a Prefeitura de Palmares do Sul, para ser aplicado na da área da saúde. Para encerrar Pompeu parabenizou Juliana Ortiz por ter exercido a função de conselheira tutelar, depois foi eleita vereadora, presidente da Câmara e em breve enfermeira. “Essa jovem tem futuro “, salientou.
Juliana agradeceu o deputado Pompeu de Mattos pela emenda parlamentar. Também agradeceu a oportunidade de conhecer a Câmara dos Deputados e ter a ao seu lado o deputado federal Pompeu de Mattos. “Estou muito feliz em minha primeira viagem a Brasília já consegui uma emenda parlamentar de R$ 100 mil reais para nosso município”, disse Juliana.

A Câmara Municipal de Palmares do Sul tem a honra de convidar Vossa Senhoria para Sessão Solene alusiva ao Dia Internacional da Mulher, que realizar-se-á no dia 16 de março de 2018 , às 18 horas, no Plenário Ver. Álvaro Arruda Costa, no prédio da Câmara de Vereadores, sito à Rua Nossa Senhora dos Navegantes, n° 432, centro, Palmares do Sul/RS.

 

Vereadora Juliana Ortiz

Presidente

Por iniciativa do vereador Mauricio Muniz, nessa segunda-feira, dia 12, os vereadores de Palmares do Sul, Adelar Araújo, Roberta Lang, Marco Ventura, Gilmar Souza, Ademar Terra, Vânia Moraes, Juliana Ortiz e Polon Oliveira, aprovaram uma Moção para manifestar apoio ao movimento “Te mexem arrozeiro 2018”.
Esse documento teve como justificava apoio aos arrozeiros pela luta que enfrentam para poder plantar suas terras com um preço defasado hoje do arroz, ou seja, estão pagando para plantar. A lavoura de arroz vive uma das suas mais graves crises, com agravante que desta vez o custo de produção é mais alto do que os preços médios. O movimento visa mitigar esses problemas dos rizicultores através da reivindicação das seguintes propostas: renegociação das dívidas arrozeiras, o ajuste de preço mínimo, a imediata disponibilização de recursos, mecanismos de comercialização, reinserção no crédito oficial além de outras. “O arroz é nossa economia principal, por isso temos que apoiar esses movimentos que visam buscar melhorias na comercialização desse produto”, salienta Mauricio.
A moção foi enviada ao Governador do Estado, ao Secretário Agricultura do Estado, ao Ministro da Agricultura e ao Chefe da Casa Civil do Palácio do Planalto.

A pedido da vereadora Vania Moraes,  os vereadores Gilmar Souza, Adelar Araújo, Roberta Lang, Marco Ventura e a presidente Juliana Ortiz se reuniram, dia 05, com o gerente da Enerfín do Brasil, Felipe Ostermayer, para que este se manifestasse sobre um projeto que tramita no legislativo onde o executivo de Palmares do Sul solicita autorização dos vereadores para revogar a lei que concedia isenção do ISS às obras de construção civil na construção dos parques eólicos.
Felipe explicou que se for retirado o benefício haverá alguma dificuldade, pois vai afetar no preço final da venda de energia nos leilões, no entanto não é só esse fator que influencia no cálculo do preço. “ A Enerfin concorre com outras cidades tanto do estado quanto no país, a algumas possuem recursos eólicos melhores, boas condições e mais próximas de conexões. Cada projeto tem sua competitividade e esse incentivo ajuda na disputa”, salientou.
A relatora do projeto vereadora Vania Moraes disse que ouviu o representante da Enerfim e agora quer ter uma reunião com o representante CPFL Renováveis para depois tomar uma posição diante do projeto. “Temos que reunir todas as informações necessárias para tomar uma posição coerente”, afirmou.
O vereador Adelar Araújo comentou que é arriscado votar a favor desse projeto pois pode interferir no preço final do leilão e o município perder um parque eólico. “Deixamos de receber no início, mas ganhamos depois em retorno ICMS”, afirmou. O vereador Marco Ventura disse que é necessário ter cautela. “Quanto é 3% em cima de nada? Questionou. Na sua opinião deve haver algum inventivo, porque seria muito arriscado perder um investimento de milhões no município por falta de alguma isenção fiscal municipal.
Dia 16 de março os vereadores terão uma reunião com o gerente Hatila Aquino da CPFL Renováveis, que já possuiu cinco parques eólicos instalados na Fazenda Atlântica, localizada no distrito de Quintão.

 
  • Dois projetos de aumento de tributos foram votados na sessão extraordinária, segunda-feira (05), pelos vereadores de Palmares do Sul. Por unanimidade, os projetos que previam o aumento da taxa de recolhimento de lixo e da contribuição para custeio da iluminação pública foram rejeitados em primeiro turno.

    Os vereadores que votaram contra os projetos argumentaram que o equilíbrio das contas é importante, mas que este não é o momento para aumentar tributos. Entre os que votaram contra está o vereador Polon Oliveira (PTB). “Todos anos é o mesmo pedido de aumento. Não apresentam nenhuma novidade. Não acho justo uma empresa pagar a mesma taxa do que uma residência”, salientou.  A vereadora Roberta Lang justificou sua contrariedade dizendo que acredita que o Executivo poderia reduzir o valor do contrato se diminuísse os dias de coletas, intercalando com a coleta seletiva de lixo. Serviço que pode ser realizado pelo município com apoio da cooperativa.  “Desde o meu primeiro mandato solicito a implantação da coleta seletiva”, frisou.

    O vereador Mauricio Muniz argumentou que votou contra porque o Executivo não tem um estudo sobre as reais necessidades e alternativas para diminuir os custos. “O povo está cansado de pagar impostos”, concluiu. Gilmar Souza comentou que a sociedade não suporta mais impostos. “A inadimplência ultrapassa a 40%, se aprovarmos com certeza irá aumentar mais. O Executivo deve investir na coleta seletiva para reduzir custos”, definiu. A vereadora Vânia Moraes informou que esse projeto está tramitando desde o ano passado. “Apresentamos várias sugestões e não fomos ouvidos. Portanto, estou votando contra porque devemos apresentar alternativas para diminuir custos e não aumentar taxas”, comentou.

    No que diz respeito ao aumento da contribuição para custeio da iluminação pública também rejeitaram o projeto porque são totalmente contra ao aumento de impostos. Foram unânimes em afirmar que nesse momento a comunidade está sendo massacrada com tantos tributos.

Página 1 de 8
TOP